domingo, 21 de outubro de 2012

Hawker-Siddeley Harrier

por: Marie Bernarde

         Nos anos 50, em meio a Guerra Fria, os estrategistas da OTAN verificavam desanimados, as instalações militares de que dependia a segurança da organização: bases complexas com pistas longas e vulneráveis. Essas eram impossíveis de serem construídas perto de fronteiras e de tão pouco esconde-las, mas os caças sim esses podiam ser modificados. Esse caça seria o Harrier. Em Outubro de 1960 em algum ponto da Europa ele elevou-se devagar a alguns centímetros do chão graças ao seu revolucionário motor Bristol-Siddeley Pegasus com empuxo vetorável através de 4 exaustores sob a designação P1127. A princípio o P1127 era apenas um demonstrador de conceito para o P1154 que seria um Caça Supersônico mais avançado baseado no P1127. O destino encarregou-se de cancelar o P1154 por questões econômicas e o P1127 entrou em serviço na RAF e na Royal Navy em 1969 como Harrier GR.Mk1. 

   A capacidade desse caça de pousar e decolar verticalmente deu a OTAN a possibilidade de instalar bases móveis bem junto as fronteiras dos países do então Pacto de Varsóvia liderado na época pela União Soviética, o que logo interessou outras nações amigas como os Estados Unidos da América que os fabricou sob licença através da McDonnell Douglas para os seus fuzileiros navais, onde o chamaram de AV-8C e para a Marinha Espanhola onde o mesmo era chamado de VAE.1 Matador. Foi fabricada ainda uma versão de treinamento biplace em tandem designada Harrier TMk.2 e uma versão para a Royal Navy e para a Marinha Indiana com um cabine totalmente redesenhada e designada Sea Harrier. O GR Mk.1 gerou posteriormente ainda o GR Mk3 que era basicamente um GR Mk1 modernizado com nova aviônica e RWR traseiro e na década de 80 o  GR Mk5, esse era um harrier com asas redesenhadas, novo motor, peso bruto aumentado, capacidade de carregar lançadores duplos de mísseis Sidewinder e outros melhoramentos e que também era conhecido como Harrier II. Na década de 90 surgiu o GR Mk7 que era basicamente um GR Mk5 com muitos aperfeiçoamentos para poder atuar até o início do século 21 e posteriormente o GR Mk9 que viria a ser a versão derradeira do Harrier, um caça que havia surgido 40 anos antes. 

fotos - Revista Aviões de Guerra & Joerg Amann

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário