quarta-feira, 22 de maio de 2013

General Dynamics F-111

por: Marie Bernarde
        
   O General Dynamics F-111 foi o primeiro avião tático do mundo a ter seção de asa variável e também o primeiro a ter motores turbofans com pós-combustor. Seu registro de combate no Vietnam e sua participação no ataque a Líbia em 1986, demonstraram sua precisão como bombardeiro tático em qualquer tempo. Ele foi desenvolvido para atender simultaneamente, a uma exigência da Força Aérea, de um aparelho de interdição e ataque de longo curso e outra da Marinha de um interceptador embarcado de longo alcance. Seu primeiro voo como YF-111 foi em 21 de Dezembro de 1964 seguido de 17 aparelhos de pré série e 141 de linha de produção chamados F-111A. 
   A variante naval F-111B só deu problemas e sua produção foi paralisada com apenas 9 exemplares construídos. O único comprador estrangeiro foi a Austrália que recebeu 24 exemplares designados F-111C, com asas de maior envergadura, trem de pouso reforçado e oito cabides ao invés de quatro. A entrega porém se deu com 10 anos de atraso. A variante seguinte foi a F-111D, com motores TF30-P-9 ao invés do TF30-P-3,  e aviônicos melhorados. O F-111E era um F-111A modernizado e o F-111F surgiu com novos aviônicos e motores TF30-P-100. Em 1974 a USAF encarregou a General Dynamics juntamente com a Grumman de desenvolver uma variante de ECM do F-111 que foi designada EF-111A através da conversão de modelos F-111A, somente 42 exemplares foram convertidos com a adoção de um computador IBM Pi, um dispensador de contra-medidas eletrônicas, um receptor de contra-medidas de radar, sistemas de auto proteção, navegação inercial a TACAN,e radar de segmento do relevo do solo. 
fotos - Den Pascoe & David Morrell

Nenhum comentário:

Postar um comentário