quarta-feira, 18 de novembro de 2009

14-Bis

O 14-Bis de Alberto Santos Dumont A aviação recebeu um grande impulso durante a Primeira Guerra Mundial. Os comandantes militares perceberam o quão importante era ter essas máquinas e foi neste período em que houve progressos significativos nesta área. A título de exemplo, no início da guerra, em 1914, os aviões só suportavam o peso do piloto, quando a guerra terminou em 1918, os aviões já tinham chegado a 230 km/h, e carregavam dois membros da tripulação mais o armamento.

Ao contrário do que muita gente pensa, o 14 Bis não voava de costas. A forma do 14 Bis, a qual veio a ser batizada em aviação como “canard” (pato, em francês), dá essa impressão, por apresentar os lemes na par-te dianteira do avião. Essa forma foi escolhida por Santos Dumont para vencer o desafio de alçar vôo. Como a intenção principal de Santos-Dumont era o 14 Bis conseguir sustentar-se no ar, o ideal era obter o máximo de sustentação positiva (para cima), tanto na asa como no conjunto estabilizador/profundor (leme horizontal). A configuração “canard” propicia isso na decolagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário